Sarneys requentam acusação da qual Weverton foi inocentado pelo STF em 2016

O resultado das últimas pesquisas de intenção de voto, que mostram o deputado federal Weverton Rocha (PDT) em plena ascensão e liderando no quesito preferência do eleitor para o Senado, fez com que o grupo Sarney entrasse em desespero.

A ordem é atacar o pedetista, assim como a deputada federal Eliziane Gama (PPS), utilizando os meios de comunicação da família, que deposita em Sarney Filho (PV) todas as suas chances de ter alguma sobrevida política.

A mais nova investida contra Weverton foi divulgada no site do grupo Sarney nesta tarde. A notícia dá conta de que o candidato ao Senado pelo grupo do governador Flávio Dino (PC do B) tornou-se réu em um processo que apura irregularidade na aplicação de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) no período no qual Weverton foi secretário estadual de Esporte e Lazer no governo do saudoso Jackson Lago.

Ocorre que o Weverton, em 2016, foi inocentado da denúncia por cinco ministros do Supremo Tribunal Federal. A informação, curiosamente, não consta na notícia veiculada no site.

À época, os ministros Celso de Mello, Carmém Lúcia, Dias Toffolli e Teori Zavascki, integrantes da 2ª Turma do STF, acompanharam voto do relator do processo, ministro Gilmar Mendes, absolvendo, de forma unânime, Weverton da acusação.

“Turma, por votação unânime, rejeitou as preliminares de cerceamento de defesa e de inépcia da denúncia, e, no mérito, julgou improcedente o pedido, com a absolvição do réu, na forma do art. 386, II, em relação à inexigibilidade da contratação do IMAM, e na forma do art. 386, III, em relação à dispensa da contratação da FUNDAR”, determinou a sentença chancelada pelos ministros.

Faltando 17 dias para o pleito de outubro, outros factoides e fake news serão divulgados pelo grupo Sarney com o objetivo de tentar manchar a imagem de Weverton.

Deixe uma resposta