Braga destaca seminário que debateu estratégias de desenvolvimento socioprodutivo do Maranhão

Na sessão desta quinta-feira, 22, o deputado Fábio Braga (SD), registrou o seminário ocorrido nos dias 19 e 20, no Shopping Golden, no Calhau, em São Luís, onde foram debatidas estratégias de desenvolvimento socioprodutivo do Estado do Maranhão.

O evento – que foi patrocinado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia – contou com as presenças do secretário Simplício Araújo; do governador Flávio Dino; de representantes de empresas de outros Estados; da comitiva do Governo Chinês e de várias outras secretarias.

“A discussão básica foi justamente de incentivar ao público em geral os produtos que são feitos no Maranhão. O poder público, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio, tem propiciado condições no sentido de que o governo não crie entraves para o desenvolvimento dessas empresas no Estado do Maranhão, principalmente, as empresas maranhenses”, afirmou Fábio Braga.

Ele acrescentou também que as empresas localizadas principalmente na Ilha de São Luís e em algumas regiões do Maranhão, geram emprego, renda e desenvolvem cadeias produtivas com o objetivo de superar as demandas do mercado maranhense.

“Eu vi lá várias empresas que, de alguma forma, contribuem para o desenvolvimento do Estado do Maranhão. Ficou claro que o Maranhão precisa nos próximos anos criar uma marca própria dos produtos feitos no Estado e, para isso, foi criado um selo de produtos produzidos no Maranhão. E isso é muito interessante, principalmente, para os comerciantes do interior do Estado do Maranhão que têm nesses pequenos mercados uma larga experiência que muitas vezes não foi feito um incentivo necessário por parte do governo para que aquelas pequenas cadeias produtivas desenvolvessem no Estado do Maranhão”, acentuou o deputado.

PRODUTOS

Fábio Braga lembrou que o Estado possui diversos produtos que são hoje comercializados em vários mercados no Maranhão e fora dele, a exemplo, da Tiquira produzida em Santo Amaro, a cachaça em Vargem Grande e a produção de farinha. “O Maranhão tem suas riquezas naturais, suas riquezas turísticas, suas riquezas que vão fazendo com que o Maranhão desenvolva e tenha cada vez mais índices melhores no PIB, mas também nós temos um mercado local que tem que ser transformado cada vez mais no mercado que gere emprego e renda para as comunidades do estado do Maranhão”, finalizou Fábio Braga.

Um comantário

  1. Sabe o que na realidade nos dá nojo, meu pobre de espírito e de dignidade humana, meu caro Pedro Cardoso? O realmente nos causa nojo, é lamentavelmente essa sua triste cegueira ideológica e essa sua subserviência aos desmandos e aos malfeitos de uma maldita política que foi praticada no Maranhão até bem pouco tempo por uma organização criminosa tipificada de “a oligarquia sarney que dizimou milhares e milhares de futuros promissores dos maranhenses. E o que de fato pode se explicar a respeito de tanto ódio seu pelo posicionamento do Ribamar Correia por ele apenas buscar divulgar de forma livre e verdadeira tal informação que hora os pesquisadores da FGV buscaram de maneira óbvia e lógica um grande avanço e um grande desenvolvimento na gestão do governo do Maranhão no trato com a gestão pública, que em particular, falam da transparência na utilização dos recursos públicos como também na transparência nas informações delas, coisa que até bem pouco tempo aqui no Maranhão, governantes não tinham essa iniciativa e muito menos essa postura. Será seu Pedro Cardoso, que o senhor é mais um dos muitos chamados e conhecidos como viúva do SARNEÍSMO de plantão para está vomitando ou escarrando ódio e ofendendo a honra daqueles que apenas cumprem com os seu deveres. Talvez você se encontra nesse estado por ter perdido a sua boquinha no estado!!!!!!

Deixe uma resposta