PROS Mulher abre nova campanha de filiação no Maranhão

Patrícia Vieira – Presidenta Estadual do PROS Mulher

“Chegar a Assembleia Legislativa do Estado era uma meta, mas o engrandecimento do meu partido no Maranhão é o meu objetivo maior.” A declaração foi feita pela presidenta do PROS Mulher no Maranhão, empresária Patrícia Vieira, ao abrir mais uma campanha de filiação de mulheres ao núcleo da legenda no estado.

A presidenta do PROS Mulher no Estado lançou carta onde convoca a todas as mulheres do Maranhão a se filiarem no partido.  Na carta ela explica que “O PROS-MULHER trabalha para a formação de uma sociedade que ofereça aos cidadãos a possibilidade de atuar de forma efetiva, e por isso, eu convido todas as mulheres maranhenses para ingressarem nas fileiras do Partido e se engajarem nessa luta”.

Leia abaixo a íntegra da carta:

A filiação partidária é o ato pelo qual um eleitor aceita, adota o programa e passa a integrar um partido político. Esse vínculo que se estabelece entre o cidadão e o partido é condição de elegibilidade, conforme dispositivo da Constituição. É também o caminho que o cidadão de bem participe da política.

Para concorrer a cargo eletivo, o eleitor deve estar filiado ao partido pelo menos um ano antes da data fixada para as eleições. O PROS-MULHER trabalha para a formação de uma sociedade que ofereça aos cidadãos a possibilidade de atuar de forma efetiva, e por isso, eu convido todas as mulheres maranhenses para ingressarem nas fileiras do Partido e se engajarem nessa luta.

Redução de Impostos, Reforma Tributária, Segurança, Educação, Moradia e Saúde de qualidade são as principais bandeiras do nosso PROS.Reconhece que na sua jornada, muitas vezes tripla, de trabalhadora, mãe e dona de casa, a mulher lida de perto com todas as questões sociais brasileiras.

A educação dos filhos, o orçamento para as compras do mês, os juros das compras a prazo, a saúde, a preocupação com a violência, o desemprego próprio, do marido, do filho, do irmão… E, com sensibilidade e dedicação, elas vão encontrando as soluções para dar conta da vida.

Hoje nós mulheres representamos mais da metade do eleitorado no Brasil. Entretanto, permanecemos minoria absoluta no Parlamento, no Executivo e no Judiciário, apesar da existência de cotas previstas em lei. As câmaras municipais, as prefeituras, os governos e as assembleias legislativas precisam da força e da capacidade administrativa das nossas cidadãs.

Não é mais possível que, um mundo onde homens e mulheres compartilham as responsabilidades, os custos e os benefícios da modernidade, seja governado apenas pelos homens. Por isso, mais do que um direito, garantir a presença da mulher na vida pública política é um dever e um compromisso que a sociedade assume com o desenvolvimento social e com a melhoria das condições de vida.

“Somente uma sociedade bem instruída caminha para a evolução”.

Deixe uma resposta