Roseana pode renunciar. Arnaldo terá direito a aposentadoria de R$ 25 mil

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, filha do senador do Amapá José Sarney, ambos do PMDB, estaria pensando em deixar o comando do governo no início do mês de novembro. A informação, que corre nos bastidores do estado nordestino, é que a governadora não deseja passar a faixa ao governador eleito e ex-presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) Flávio Dino (PCdoB). As informações são do Poder Online.

A justificativa para a renúncia é que Roseana ficaria “extremamente constrangida” com a transmissão do cargo a um político da oposição. A filha de Sarney, aliás, já anunciou que não deve mais disputar qualquer cargo político. No auge da carreira, a governadora chegou a ser um dos nomes fortes do antigo PFL (atual DEM) para disputar à Presidência da República. Agora, Roseana e seu pai, José Sarney, enfrentam altos índices de rejeição popular pelo péssima administração que ela fez no que seria o melhor governo da sua vida (acabou se transformando no pior governo da vida dos maranhenses).

Um detalhe na renúncia, no entanto, não pode passar despercebido. Caso opte por deixar o governo faltando apenas um mês para encerrar o mandato, quem assume o estado é o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado Arnaldo Melo (PMDB), que não renovou o mandato por ser o vice do candidato derrotado ao governo Edison Lobão Filho, também do PMDB. O parlamentar, que faria um “mandato relâmpago”, terá direito a uma aposentadoria vitalícia de aproximadamente R$ 25 mil.

Deixe uma resposta